Nutrição Funcional

Probióticos, o que são e para que servem

  

Os probióticos são bactérias que atuam de forma benéfica que melhoram a saúde do intestino facilitando a digestão e a absorção de nutrientes.

 

Dessa forma, o consumo regular de alimentos considerados probióticos vai atuar ajudando o funcionamento intestinal e ainda fortalece o sistema imune, ajudando a prevenir doenças, como gripes e resfriados.

 

E para que servem os probióticos?

 

São muitos benefícios dos probióticos para nossa saúde, dentre eles:

 

  • Combater doenças intestinais, como colite, síndrome do intestino irritável, doença de Chron e inflamação intestinal;

  • Combater a candidíase, hemorroidas e infecção urinária.

  • Melhorar a digestão e diminuir a azia;

  • Aumentar a absorção de alguns nutrientes, como vitamina B ou metionina;

  • Aumentar a produção de macrófagos, que são células de defesa do organismo;

 

Embora os benefícios dos probióticos para a saúde sejam amplos é importante consultar um nutricionista antes de iniciar a ingestão de cápsulas de probióticos, por exemplo.

 

Alguns exemplos de probióticos como os Lactobacillus acidophillus, L. casei e L. bifidum que, geralmente, são acrescentados em determinados alimentos que passam a ser denominados alimentos probióticos, como, por exemplo: Yakult, Activia, Kefir;

 

Quando consumimos regularmente, percebemos uma melhora no trânsito intestinal, sendo especialmente indicados para casos de prisão de ventre e diarréia causada pela ingestão de antibióticos. Para alcançar os benefícios é recomendado o consumo de 1 iogurte com probióticos por dia, todos os dias. Os resultados podem começar a serem vistos após 7 dias.

 

O iogurte não é a única opção capaz de oferecer essas bactérias benéficas ao nosso organismo, outros alimentos contém probióticos e que também são fáceis de serem incluídos no cardápio do dia a dia.

 Por isso, você pode (e deve) incluir essas aliadas todos os dias na sua alimentação. “É importante ressaltar que os alimentos com probióticos podem ser submetidos a uma temperatura máxima de 60° C. Aquecido acima disso, esses microrganismos morrem e os benefícios deixam de existir.